Olá! Hoje estou aqui para resenhar um livro que eu sempre falo muito e que é um dos meus favoritos.
O livro "Por isso a gente acabou" foi comprado por atração pela capa, (assumo!) mas quando comecei a ler, não durou 3 dias em minhas mãos. Pois bem, ai está:

Sinopse: O livro foi escrito por Daniel Handler (nome verdadeiro do heterônimo Lemony Snicket) e ilustrado incrivelmente por Maira Kalman.
   Mim e Ed estudam no mesmo colégio, se envolveram, iniciaram um namoro e depois de algum tempo, e muitas idas e vindas, eles puseram um fim. (Episódio esse que ocorre muito na juventude.)
   Depois de passar por todas as etapas que um fim de relacionamento intenso provoca, Mim decide deixar na porta de Ed uma caixa com objetos que significaram algo em algum encontro ou etapa do namoro e uma carta explicando o episódio em que cada objeto participou, sempre incluindo no fim de cada capítulo (história de cada objeto) um motivo para o fim deles de um modo divertido e atraente.

Resenha: Nós, leitores, sempre queremos que todas as pessoas apreciem a nossa paixão, os livros.
   Mas sabe quando você lê um livro e pensa em todas as pessoas que deveriam ler o mesmo, em todas as pessoas que você acha que iriam gostar, em todos os leitores que ainda não o leram, mas que deveriam ler e acaba querendo que todo mundo leia, simplesmente porque você amou.
   Este é o livro que provocou isso em mim. Eu o li e em todas as cartas que escrevo, eu o incluo como um dos meus livros, independentes, preferidos. Não, não é um livro exclusivo para quem está triste pelo fim de um relacionamento também. É um livro para todos os amantes de romances e para todos os amantes de contos. 
   Temos a mania de destacar, de algum modo, nossas partes ou frases favoritas em um livro. Eu comecei assim, como sempre começo, com um bloquinho de post-it transparente em mãos. Com o passar da leitura, vi que não conseguiria marcar deste jeito, ou o livro INTEIRO seria cheio de post-it, e utilizei um adesivo padrão para marcar os meus capítulos favoritos.
   Não há como não nos envolvermos com os personagens de um livro bom. Na leitura, acompanhamos a Min, e, temos vontade de abraçar o Ed, chorar com ela e bater nele, temos vontade de ver os filmes que ela fala e detalha com tanto carinho. Eu gosto de contos e gosto de romances. Eu tratei do livro como cada capítulo sendo um conto, já que cada um contava uma história diferente e foi uma leitura tão rápida...
  Ah, não tem o que falar. Foi uma escrita simples, uma narrativa envolvente, uma história "rotineira", os desenhos que ajudaram a deixar o livro mais dinâmico e um escritor ÓTIMO que formaram um livro muito indicado. LEIAM, LEIAM, LEIAM, LEIAM!!!


Ola, bom dia.
Estou aqui para informar-lhes por onde ando. O mês de novembro e este início de dezembro, tem sido um tempo muito corrido. Porém, muitos me perguntaram se eu ainda estou no Projeto Troca de Cartas. Sim, estou ativa desde o inicio da semana. E estou fazendo um curso chamado "Técnicas para escrever um livro" (pelo site), ministrado pelo Gustavo Magnani do Literatortura e, ao longo do curso, irei compartilhar minhas atividades com vocês. E me perguntaram sobre as parcerias. Depois do Fabio Lemos, da Cenir Zemune e da Renata Sarmento, recebi os livros do Luis Madureira e da Kelly Danelon. Adianto a vocês que tenho duas propostas em aberto que vocês iram adorar. E estou em parceria com a Editora Autêntica/Gutemberg e com um blogueiro que conheci no evento ótimo que convidei vocês. O blog é o alunosonlineofc.blogspot.com , visitem!!! Não vão se arrepender. E está rolando um sorteio de um dos livros da Kelly Danelon lá no instagram (@portalbibliotecario), vai lá!
Beijo e, antecipadamente, anuncio que esta semana irei publicar as resenhas prometidas.


Olá, gente! Hoje, venho apresentar a vocês mais uma resenha, um livro de uma autora parceira: Cenir Zemuner.

Nós nos pegamos, frequentemente, pensando como a tecnologia estará avançada daqui a 10 anos. Este livro se passa em Nova Iork, no ano de 2037, onde o avanço tecnológico permitiu a um cientista criar uma máquina que permite ver o passado. Imagine um crime executado possa ser visto depois de acontecido? Teríamos, com toda certeza, um mundo um pouco mais seguro. Mas imagine agora se esta maquina fosse roubada por alguem que não tem tantas boas intenções como o cientista criador? Este livro me enviado como parceria pela Cenir Zemuner, é um livro que envolve religião, amor, perdão, ética e ciência. Assuntos tão polêmicos sendo tratados juntos provocam uma contradição ou ate uma confusão em nossa mente, mas a autora conseguiu envolver e incluir tão bem os assuntos que nos fixa no livro. Porém concordo com um blog (me perdoe, mas não lembro de quem li uma resenha antes de receber o livro) que disse: "somos apresentados a tantos personagens ao longo do enredo que quando lemos não conseguimos nos apegar a ninguém" e, sim, gostamos disso, gostamos de como nos envolvemos com o jeito que um personagem vive ou age e com tanto personagens, só conseguimos nos fixar na história.
Agradeço a Cenir Zemuner pela confiança e pela leitura que tive, parabéns pela escrita. Espero conseguir ler outro livro seu, continue no ramo, és ótima.